sábado, janeiro 24, 2015

A Vida Secreta dos Bebês

O documentario "A Vida Secreta dos Bebês" esta sendo exibido no Fantastico e amanhã sera o ultimo episodio. Como eu não tenho TV, assisti o video pela internet no Netflix.

O documentario é de 45min e é muito interessante, descobri coisas sobre bebês que nunca havia imaginado e estou doida para ver isso tudo acontecer com nosso bebê que esta pra chegar!

Alem disso, parece que o Fantastico tem cortado alguns pedaços do documentario original, entao recomendo a todos dar uma olhadinha na versão original.

Para encontra-lo é so procurar por "Secret Life of Babies" no Netflix ou clicar aqui.


segunda-feira, janeiro 05, 2015

La famille

Em agosto de 2013 eu comecei a ter aulas de fotografia, aprendi como usar uma camera em modo manual, estudei composição, uso do flash e fluxo de trabalho com arquivos raw. Eu sou muito orgulhosa do progresso que tive no assunto e do meu olhar, apesar de me culpar por ter fotografado tão pouco em 2014.

2015, com a chegada do nosso filho prevista paraAbril/Maio, sera um ano cheio/repleto de fotos, como toda mãe, acho que não conseguirei não registrar todos os momentos chave do desenvolvimento do nosso filho.

Quando penso em fotos de familia, o registro mais marcante que me vem a cabeça são as fotos de Alain Laboile em La Famille.

Alain Laboile fez este registro em preto e branco, apesar de ter otimas fotos coloridas também. Seus filhos são tão acostumados com a presença da camera que parece que a camera é mais um membro da familia e não interfere de forma alguma no momento da foto.

Super recomendo uma espiadinha na série completa de La Famille.

Abaixo as fotos que eu mais gosto! Espero que gostem também.










terça-feira, dezembro 23, 2014

Controle de Peso

Uma das coisas que mais me cobram durante a gestação é o controle de peso. Isso porque eu já entrei na gestação já considerada obesa. 

Estar obesa durante a gestação, obviamente não fazia parte dos meus planos, nem dos planos de nenhuma mulher, certo? Quando decidi tentar engravidar, a primeira coisa que fiz foi entrar em uma nutricionista, 5 meses depois eu comecei a realmente tentar engravidar. Eu havia perdido uns 7 quilos, havia feito os exames de pré-natal, estava tomando ácido fólico. O tempo foi passando, eu não engravidava e acabei largando todo o preparo à gestação. 

Então eu descobri que estava grávida e despreparada. Pois é...

O fato de ser gestante, obesa, me coloca em fator de risco. Por isso sou atão cobrada pela nutricionista, pela obstetra, pelo marido e pela minha própria consciência.

Como estou de férias, não sei dizer quanto peso eu já ganhei pois inha barriga cresceu muuuuito nessas duas últimas semanas, mas sei que estava indo bem. Quer dizer, pros meus padrões, minha nutricionista não queria que eu não ganhasse nenhum grama durante a gravidez, para ela eu tinha reserva suficiente para o crescimento do bebê. Mas como não engordar na gravidez?

Nova fase

Essa semana completo 5 meses de gravidez. Minha ansiedade é difícil de controlar, queria que esses 4 meses restantes passassem rápido. Queria vê-lo pela primeira vez e respirar com tranquilidade ao ter a confirmação que tudo esta bem, que nós passamos por esses 9 meses sem nenhum problema. Queria ter logo a certeza que ele é saudável e esta muito bem. Queria logo tê-lo aos meus braços e dizer que o amo. Que dizer que senti sua falta mesmo sem nunca tê-lo visto antes.

Ele mal chegou e já encheu meu coração de amor, meu peito de afago e minha cabeça com desejos que ele tenha uma vida sábia e repleta de felicidades.

Bem vindo, meu filho. Sei que demoramos, mas agora estamos prontos!

sexta-feira, outubro 11, 2013

Back to Reality

A vida esta quase voltando ao normal.... E não, isso nāo é bom.
A última coisa que eu queria que acontecesse nesse momento era voltar à minha rotina sem graça de acordar cedo, passar 1:40 no trânsito para ir trabalhar, levar patada e me estressar até meu organismo estar a ponto de explodir. Sair do trabalho e passar mais 2 horas e blau no trânsito, chegar em casa e se preparar para dormir. 

Não sei se concordam, mas para mim isso não é vida...
De que serve estar sempre estressada e de péssimo humor e não ter tempo para absolutamente nada?

Eu queria tanto ter tempo pra mim, tempo pra ler, pra fotografar, desenhar, pintar, cuidar da casa, jardinar e cozinhar. Tempo pra passear, encontrar os amigos, cuidar da minha saúde.... Para aprender coisas novas... Mas por enquanto não, não sei como encontrar esse tempo que preciso...

Mudar de emprego? De carreira? Me mudar e fazer com que o marido passe um tempão no transito? Não sei...

Estava de férias, no paraíso!!! 5 dias em Fernando de Noronha, 1 dia em Recife e 9 dias no litoral norte de Alagoas. Foi maravilhoso, ficamos em pousadas ótimas, curtimos muito um ao outro, comemos bem, descobrimos coisas novas, encontramos pessoas bacanas e fizemos nada... NADA! Maravilhoso!

Voltar a rotina corrida e estressante sera mega dificil!

segunda-feira, setembro 09, 2013

Back to the past

Quando voltei pro Brasil, em abril de 2011, eu estava beeeem gordinha, ja na faixa da Obesidade. Chegando aqui eu ainda ganhei uns 5 quilos, naquela de matar a saudade de todas as maravilhas que o Brasil oferece.

Meu objetivo de todo ano, assim como o de qualquer ser humano nesse mundo, é perder peso. Eu nunca estabeleci que deveria perder 10, 20 ou 30 quilos, eu so estabelecia que deveria terminar o ano com menos peso que eu comecei.

Ano passado eu bati a minha meta. Fiz 3 meses de vigilantes do peso e perdi 7 quilos.

Esse ano eu também irei bater a minha meta, estou com uma nutricionista e ja perdi 5.3 quilos.

Mas sabe o que me da mega prazer? Não são somente os quilos a menos, não é entrar em roupas que ja não cabiam em mim... o melhor disso tudo é voltar ao passado!

Sério!!! Ja explico...

Sabe-se la porque eu anoto meu peso numa tabela excel desde 2006! Isso mesmo, eu tenho meu peso anotado em uma tabela desde 2006! São 7 anos!!!! Esta tudo la, registrado, com estaticas e uma mega curva que parecia nunca parar de subir. Um horror!!!!

E graças a essa super tabela, hoje eu sei que tenho o mesmo peso que no primeiro trismestre de 2010. Voltei 3.5 anos ao passado. Me sinto, definitivamente, mais jovem. Além de, é claro, mais leve!

sexta-feira, setembro 06, 2013

Resgatando memorias do passado....

Reativando o blog, percebi a existência de inumeros rascunhos que nunca foram publicados. Encontrei esse aqui, escrito em 2007 enquanto ainda morava em Paris e estagiava na L'Oréal. Super engraçado que apesar de ter sido escrito ha mais de 5 anos, ele permanece tão atual!

Decidi publica-lo, assim mesmo, da forma que ele permaneceu ao longo desses 6 anos nos rascunhos do blog.

__________________________________________________________________________________


Outro dia conheci, la no estagio, uma brasileira que trabalha na L'Oréal do Rio, ela passou 3 semanas aqui para resolver pendengas da fabrica da Dutra. A conheci na vespera do seu retorno para o Rio e ela é simplesmente super simpatica! Foi muuuuito bom conversar com ela, mesmo que somente por uns 5 minutos. Ela me lembrou toda a energia, alegria, simpatia e bom humor dos brasileiros. Talvez vocês não entendam o que eu quero dizer e talvez muitos brasileiros que morem aqui não concordem comigo, mas digo que eu perdi muito da minha identidade aqui. Abraçar os amigos, distribuir beijinhos no rosto quando vejo alguém e para me despedir, dar um tapinha na pessoa quando ela fala bobagem, ou abraçar uma pessoa quando ela chora... Coisas que não faço mais.... Não é minha culpa, mas depois de fazer isso aqui varias vezes e ser reprimida, acabei deixando isso de lado. E eu não sou e nem quero ser do tipo "mas é a minha cultura e eu não vou mudar". Eu escolhi morar aqui e fui bem acolhida, nao vou passar 90% do meu tempo reclamando dos costumes locais, da frieza do povo e etc... Eles são assim e eu suporto isso, não é horrivel como muitos dizem, so é diferente e ponto.

Jah ouvi muitos brasileiros dizendo que aqui é horrivel, que francês é isso e é aquilo, que o povo é frio demais e etc. Esses mesmos brasileiros também dizem que pessoas como eu são deslumbradas demais, que acham que aqui tudo é bom e melhor. Acho que isso depende muito de cada um. Eu sei que sofri muito aqui, cheguei e 2 semanas depois tacaram fogo no meu predio enquanto eu dormia e me deparei com a mão no bolso no meio da rua, passei 6 meses sem amigos, assistindo aulas dia e noite sem ter ninguem para conversar. Sofria de estresse e solidão. Mas fiz o maximo que pude para me enturmar, falar francês bem e sabia que ter amigos brasileiros e passar todo meu tempo com eles não me ajudaria muito.

Eu passei por um periodo dificil sim, mas acabou. Hoje eu tenho otimas amigas, minha vida profissional esta maravilhosa, o Romain é meu amor para sempre e o resto... o resto é o resto...

Sai de Cavalcante para Paris. Para ir ao médico não preciso mais acordar as 5 da manha para ir pra fila do PAN, não ouço mais rajadas de metralhadoras todas as noites, nunca mais fui picada por mosquitos e nem vi baratas, o metro funciona super bem (mesmo que muitos reclamem do cheiro e do calor, mas até parece que onibus no Rio não tem o mesmo problema)

Por falar em estagio, as coisas vão super bem, obrigada! =)

Ontem a noite, depois de 8 horas de estudo, fui para a Festa do Sushi na Cidade Universitaria, que é aqui do lado de casa. Fui convidad

segunda-feira, setembro 02, 2013

Nem Khao

Um de meus restaurantes favoritos em Paris não é Francês, acreditem. E o Lao Lane Xang no 13éme arrondissement. E um restaurante Laociano, extremamente concorrido. Se for para o jantar, nem pense em não reservar com antecedência. A cada ida a Paris, tenho um jantar entre amigos programado no Lao Lane, de preferência com meus amigos da L'Oréal que estiveram comigo nesse restaurante durante o primeiro jantar ainda em 2007.

Um dos meus pratos favoritos é o Nem Khao, arroz laociano. Trata-se de arroz jasmine bem crocante (aquele asiatico extremamente perfumado), com leite de coco, amendoim, linguiça e ervas frescas, levemente citronado e apimentado. Uma delicia!!!! 

Frustada em não poder degusta-lo com a frequência desejada, resolvi investir em aprender a fazê-lo com minhas proprias mãos.

Foram horas de buscas de receitas e videos para encontrar o caso ideal ao meu paladar e aos ingredientes disponiveis nos mercadinhos do Rio.

Testei, deu muito trabalho, ficou delicioso, mas nem perto da textura e do sabor de minhas boas lembranças....




 

Mais tentativas virão!